No dia 12 de setembro de 2019, na habitual mensagem de vídeo do Papa, Francisco nos convidou a construir um pacto educacional global e nos convocou para o dia 14 de maio de 2020 em Roma, na Sala Paulo VI do Vaticano. Tem como objetivo “reacender o compromisso pelas e com as gerações jovens, renovando a paixão por uma educação mais aberta e inclusiva, capaz de escuta paciente, diálogo construtivo e compreensão mútua.” Pode aceder à mensagem escrita AQUI.

O objetivo do Pacto é que representantes das principais religiões, organizações internacionais e do mundo acadêmico, econômico, político e cultural assinem um pacto global pela educação para construir uma aliança entre a escola, a família e as melhores energias de. a sociedade, tendo como centro o desenvolvimento integral da pessoa e o cuidado da casa comum.

Que aconteceu desde então?

Em março de 2020, o instrumentum laboris e o site do PEG www.educationglobalcompact.org foram publicados. Mas, em março, Covid-19, o confinamento e novas medidas de segurança sanitária chegaram. O ato de maio foi adiado.

El 15 de octubre de 2020, desde el Aula Magna de la Universidad Lateranense de Roma, en un encuentro promovido y organizado por la Congregación para la Educación Católica, "Pacto Mundial sobre la Educación. Juntos para mirar más allá", el Papa relanza el PEG (a partir del minuto 7:25) 

No dia 15 de outubro de 2020, na Aula Magna da Universidade Lateranense de Roma, em um encontro promovido e organizado pela Congregação para a Educação Católica, "Pacto Global pela Educação. Juntos para olhar além", o Papa relança o PEG (a partir do minuto 7:25)

Em sua mensagem, ele oferece sete chaves para levar o Pacto adiante:

1 Colocar no centro de qualquer processo educacional formal e informal a pessoa, seu valor, sua dignidade, para evidenciar sua própria especificidade, sua beleza, sua singularidade e, ao mesmo tempo, sua capacidade de se relacionar com os outros e com o realidade que o rodeia, rejeitando aqueles estilos de vida que favorecem a disseminação da cultura do desperdício.

2 Ouvir a voz das crianças, adolescentes e jovens aos quais transmitimos valores e conhecimentos, para construirmos juntos um futuro de justiça e paz, uma vida digna para cada pessoa.

3 Promover a plena participação de meninas e mulheres jovens na educação.

4 Ter a família como primeira e indispensável educadora.

5 Educar e educar-nos para acolher, abrindo-nos aos mais vulneráveis ​​e marginalizados.

6 Comprometemo-nos a estudar para encontrar outras formas de compreender a economia, a política, o crescimento e o progresso, para que estejam verdadeiramente ao serviço da pessoa e de toda a família humana na perspectiva de uma ecologia integral.

7 Salvaguardar e cultivar a nossa Casa comum, protegendo-a da exploração dos seus recursos, adoptando estilos de vida mais sóbrios e procurando a utilização integral das energias renováveis ​​que respeitem o meio ambiente humano e natural, seguindo os princípios da subsidiariedade e solidariedade e da economia circular.

Você pode ler a mensagem completa AQUÍ.

Clique no logotipo para saber seu significado.

Você pode se aprofundar nas palavras-chave do Global Compact selecionando a que deseja:

 

Concluímos com as palavras do Papa em sua mensagem de 15 de outubro e a pergunta que Graciela nos deixou em sua carta nº 11:

“Apelamos de maneira particular aos homens e mulheres da cultura, ciência e esporte, aos artistas, aos operadores de mídia, em todas as partes do mundo, para que eles também assinem este pacto e, Com o teu testemunho e com o teu trabalho, te tornas promotores dos valores do cuidado, da paz, da justiça, do bem, da beleza, do acolhimento do outro e da fraternidade. Desfrutamos de um espaço de corresponsabilidade capaz de iniciar e gerar novos processos e transformações. Sejamos parte ativa na reabilitação e ajuda das sociedades feridas ”. (Francisco)

«Como nos desafia este apelo do Papa, chamados a evangelizar os povos através da educação?» (Graciela Francovig, Superiora Geral das Filhas de Jesus)

0
0
0
s2sdefault