Myitkyina está localizada no estado mais ao norte de Myanmar, com fronteiras internacionais conectadas com a China e a Índia. Os habitantes de Myitkyina são chamados de Kachin.

Em janeiro de 2020, havia 96.656 pessoas deslocadas, vivendo em 139 campos. A Diocese de Myitkyina, juntamente com o JRS (Jesuit Refugee Service), tem sido muito útil para os deslocados internos. A Diocese acolhe deslocados internos desde 2011.

Cheguei a Miitkyina Kachin, estado de Mianmar, no dia 27 de novembro de 2019 para acompanhar Ir. Pilar Brufal, que trabalhava com o JRS há dois anos. Acompanhando Pilar, JRS pediu-me para trabalhar no TTC do acampamento (Camp Teacher Training Center - Centro de formação de professores) como consultor e professor para funcionários da administração local. Minha experiência com os jovens das diferentes dioceses de Myanmar foi muito desafiadora. Dei-lhes formação espiritual uma vez por semana e ensinei-lhes jardinagem orgânica no quintal, além de ajudar e consultar a equipe do TTC. Também lhes dei aulas de catecismo e os ajudei a tomar consciência da importância dos sacramentos.

 

Meu trabalho se concentrou mais no acompanhamento psicossocial dos professores participantes do Centro de Formação de Professores do Camp. Tive a oportunidade de visitar as famílias dos diferentes acampamentos para compartilhar com elas algumas técnicas da agricultura orgânica, já que sua alimentação depende muito da agricultura. 

Olhando para trás, em meus quatro meses de trabalho com o JRS em Mianmar, ainda me lembro das imagens de homens e mulheres deslocados à força que me lembraram da presença de Deus. Os funcionários leigos que trabalharam arduamente por seu próprio povo ainda vêm à mente, especialmente nestes tempos de crise em Myanmar.

 

Olhando para trás em meu encontro com deslocados internos, percebi que a melhor coisa que fiz foi tratá-los como pessoas normais. e descobri que a linguagem do sorriso era o que eles precisavam naquele momento. Um simples gesto de sorriso e ouvir suas histórias felizes ou tristes foi surpreendentemente mais gratificante do que dar-lhes coisas materiais.

Já vi muitas das piores situações de pobreza e fiquei surpreso ao descobrir suas diferentes necessidades. Cada contexto tem sua própria necessidade em termos de pobreza.

 

  

Trabalhar com o IDP foi muito difícil para mim. É preciso humildade para estar sob uma equipe do JRS muito organizada em Mianmar. Sinto-me muito pequeno ao ver o sério compromisso dos leigos que servem os deslocados internos. Trabalhar com diferentes grupos de leigos e igrejas, e com outras congregações também foi muito difícil, especialmente quando você tem culturas e pontos de vista diferentes. Não experimentei barreiras, mesmo trabalhando com budistas e protestantes.

 

 Trazendo minha experiência à mente, digo que minha gratidão a Deus é grande. Pensei um pouco ... eles podem precisar de dinheiro, comida e outras coisas materiais, mas no fundo, posso ver que o mais importante que posso lhes oferecer é tempo. Dar-lhes tempo é dar-lhes esperança e incentivo para continuar. Eu estava tão desafiado por sua ESPERANÇA. Eu os vejo como indivíduos resilientes que podem absorver e superar adversidades em suas muitas formas, e essa qualidade descreve muitos dos PIDs. A esperança para eles é uma virtude e uma perspectiva, uma graça que lhes permite viver hoje acreditando num futuro que não é claro nem seguro.

Tive a bênção de ter esperança de muitas maneiras nesses quatro meses de trabalho com o JRS. Eu realmente aprecio o Jesuit Refugee Service (JRS) Myanmar para que todos possam experimentar uma vida tão desafiadora com pessoas em meio ao sofrimento e ao deslocamento.

Agradeço à Madre Geral por me dar essa oportunidade e por me permitir acompanhar Pilar e trabalhar com o JRS ao mesmo tempo. Agradeço à Província da Ásia Oriental pelo apoio durante o tempo em que fui e voltei às Filipinas em meio à pandemia, por todas as orações das minhas irmãs, por fazer parte da comunidade Tailândia-Mianmar por quatro meses. Muito obrigado. Bendito seja Deus! 

Minha gratidão a Deus

H. Mary Juelar, FI

Hijas de Jesus Center, El Salvador - Misamis Oriental (Filipinas)

Puedes escuchar también la experiencia de Pilar Brufal FI

0
0
0
s2sdefault