Imprimir

Irene Bellito, 87, mãe de Mauro e Carla, faleceu na última quinta-feira, 18 de fevereiro.

Mauro é jardineiro e trabalhador de manutenção da Cúria. Ele sucedeu a seu pai, Giuseppe, quando ele faleceu em nosso prédio em 1984.

A família mora na pequena casa na entrada da fazenda, por isso são nossos vizinhos mais próximos. Em outras palavras, eles são "como se estivessem em nossa própria casa".

Irene, vizinha e mãe, já viu muitas irmãs passarem por aqui. Ele conheceu quem veio para estudar, para trabalhar, para visitar, para ficar ... Uma mulher silenciosa, discreta e compreensiva. Quando havia uma oportunidade, ela percebeu que a irmã que ela cumprimentou facilmente não falava italiano. Talvez seja por isso que ele se fez entender tão bem com um sorriso e um leve aceno de cabeça. Bastante pouco é para quem chega se sentir acolhido.

Um ou dois dias antes do Natal, é tradição os funcionários que trabalham na casa se encontrarem com as irmãs, se cumprimentarem, comerem alguns doces e passarem um tempo juntos. Ele veio em 2019, acompanhando o Mauro, a gente curtiu. A Covid não permitiu que Irene viesse no natal passado e, além disso, ela era muito fraco.

Um tumor estava lentamente fazendo seu trabalho e mal teve tempo de ser notado. E, como às vezes acontece, uma queda, quebrando uma perna e um braço, precipitou o fim. A pandemia que vivemos tornou a despedida mais dolorosa. É o mesmo que se vive em diferentes partes do mundo, porque é exigido pelos protocolos estabelecidos.

Se Deus sabe que algo é ser "Mãe", é por isso que temos a certeza de que Irene gosta de seu abraço. Pedimos esse consolo para seus filhos. Vamos sentir falta dela.

Comunidade da Cúria

0
0
0
s2sdefault