MENSAGEM DO SANTO PAPA FRANCISCO

55ª DIA MUNDIAL DAS 

COMUNICAÇÕES SOCIAIS

 

“Vinde e vede” (Jo 1,46). Comunique-se encontrando as pessoas onde estão e como são.

A mensagem do Papa Francisco neste 55º Dia Mundial das Comunicações gira em torno do convite para "ir e ver" que acompanha o primeiro encuentros de Jesus com os discípulos. É, diz ele, "o método de toda comunicação humana autêntica".

Num mundo que diluiu a fronteira entre leitor e comunicador e que pôs ao nosso alcance a possibilidade de contar o que vemos e ouvimos, a mensagem do Papa neste dia também pode ser para vós.

Ele inicia sua mensagem convidando-nos a "sair da confortável presunção de" como já se sabe "e a" ir em frente, ir ver, estar com as pessoas, ouvi-las, captar as sugestões da realidade. É uma sugestão para qualquer expressão comunicativa que queira ser clara e honesta. ”E continua com cinco breves reflexões: ver a realidade, vivenciar, agradecer a coragem do jornalista que vai aonde ninguém vai, chamado à responsabilidade na rede não já complementam o cara a cara com o virtual.

Use as solas dos seus sapatos

"Cada instrumento é útil e valioso apenas se nos impulsionar a ir e ver a realidade que de outra forma não conheceríamos, se reunir conhecimentos que de outra forma não circulariam, se permitir encontros que não ocorreriam de outra forma".

Esses detalhes da crônica no Evangelho

"A fé cristã é comunicada como conhecimento direto, nascido da experiência, não boato". Experiências que são narradas com os detalhes que revelam a presença de quem escreve naquele local e o impacto que essa experiência teve na sua vida.

Graças à coragem de tantos jornalistas...hoje conhecemos muitas realidades que seriam silenciadas no nosso mundo porque pertencem a minorias ou porque não interessam aos poderosos ou porque cairiam no esquecimento.

“Muitas realidades do planeta, ainda mais nesta época de pandemia, direcionam o convite a 'ir e ver' para o mundo da comunicação. O jornalismo, como história da realidade, exige também a capacidade de ir aonde ninguém vai.

Oportunidades e armadilhas na web

“Graças à rede temos a possibilidade de relatar o que vemos, o que se passa diante dos nossos olhos, de partilhar testemunhos. É um instrumento formidável, que nos responsabiliza a todos como utilizadores e como consumidores”.

"Mas os riscos de uma comunicação social não controlada já se tornaram evidentes para todos também." Isso nos empurra “a uma maior capacidade de discernimento e a um senso de responsabilidade mais maduro, tanto na divulgação dos conteúdos como na recepção dos conteúdos. Todos somos chamados a ser testemunhas da verdade: ir, ver e compartilhar”.

Nada substitui ver pessoalmente

Porque "não se comunica, na verdade, apenas com as palavras, mas com os olhos, com o tom da voz, com os gestos. A palavra só é eficaz se for" vista ", apenas se envolver você em um experiência, em diálogo, por isso o “venha e veja” foi e é essencial ”.

“O Evangelho se repete hoje cada vez que recebemos o testemunho claro de pessoas as quais suas vidas foram mudadas pelo encontro com Jesus. Por mais de dois mil anos foi uma cadeia de encontros que comunica o fascínio da aventura cristã. O que nos espera a gente é, portanto, comunicar encontrando as pessoas onde elas estão e como estão ”.

Senhor, ensina-nos a sair de nós mesmos,

e caminhar na busca da verdade.

 

Ensine-nos a ir e ver

ensina-nos a ouvir,

não cultivar preconceitos,

não tirar conclusões precipitadas.

 

Ensine-nos a ir aonde ninguém quer ir,

para ter tempo para entender,

prestar atenção ao essencial,

não se distrair com o supérfluo,

para distinguir a aparência enganosa da verdade.

 

Dê-nos a graça de reconhecer suas moradas no mundo

e a honestidade de contar o que vimos.

 

 

Roma, São João de Latrão, 23 de janeiro de 2021, Vigília da Memória de São Francisco de Sales.

 

Francisco

Lei AQUI o mensaggem completo.


[1]  Jornalista espanhol, nascido em 1920 e falecido em 1971; Ele foi beatificado em 2010.

0
0
0
s2sdefault