Faz quase dois anos que a comunidade do Japão está vivendo seu Projeto de missão comum: “Transparecer o rosto misericordioso e compassivo de Deus”. Neste artigo queremos partilhar um exemplo de como o estamos concretizando, através de um apostolado não muito conhecido aos olhos do mundo: acompanhamento aos migrantes em centros de detenção, e no Japão não é fácil porque o processo é muito rígido. Rosina Magaldi, uma de nossas Irmãs do Brasil, conta-nos sua experiência.

Visita à Detenção de Ushiku
Duas vezes por mês um pequeno grupo do Centro Católico Internacional de Tóquio visita os  detidos em Ushiku. Vivem ali pessoas que estão pedindo para serem refugiados, e as que perderam o visto por terem estado na prisão.
No dia 26 de maio a visita foi especial. A pedido de um grupo deles, o P. Juan Masiá SJ e eu fizemos com eles, pela primeira vez, em uma sala especial, um tempo de oração.
Participaram pessoas de diferentes nações: República Dominicana, Brasil, Guatemala, Filipinas, Nepal, Irã e Shri Lanka, divididas em 4 grupos, de 4 pessoas cada um.
Não pudemos  ter a Eucaristia com pão e vinho, mas a oração foi uma verdadeira Eucaristia: reflexão sobre a vida e pedido de perdão pelos pecados e faltas, leitura de Mt. 18,19-20 (O fariseu e o publicano)  com comentário ou pedido daquilo que sentiu ao ouvir a Palavra de Deus. Colocando as mãos sobre a Bíblia, cada um ofereceu a Deus sua vida com tudo o que ela tem de alegria, sofrimento, etc. O P. Masiá fez uma oração pedindo a Deus que consagrasse estas vidas que se entregavam a Ele. Depois, dando-nos as mãos, rezamos o Pai Nosso, seguido pela comunhão espiritual. O Padre impôs as mãos sobre cada um para dar a benção e a Indulgência do Ano Jubilar da Misericórdia.
Todos ficaram contentes e renovados, com o desejo de ter novamente a oportunidade de um tempo de oração como esta.
Estamos dispostos a fazê-lo. É preciso esperar as licenças e efetuar todo o protocolo exigido na  casa de Detenção.

0
0
0
s2sdefault