Hoje, agora em solo dominicano, preparo-me para compartilhar e refazer o longo caminho de nossa passagem, como Congregação de Filhas de Jesus, pela Venezuela.

As primeiras irmãs chegaram em 24 de setembro de 1984 com a bela missão de dar suas vidas a Jesus e compartilhar a tarefa educacional em uma rede com Fe y Alegría. Assim, em 5 de dezembro de 1985, nasceu a Escuela Técnica Cándida María de Jesús - Fe y Alegría.

Desde aquele 24 de setembro até hoje, várias irmãs da Colômbia, Espanha, Venezuela e República Dominicana têm acompanhado o processo educacional e a vida de Fe de la Villa del Rosario. Foi o primeiro lugar onde chegamos e onde permanecemos até o final de nossa partida física. Durante este tempo, também acompanhamos escolas em Tovar, Caracas. E em Mérida, a casa de Exercícios Espirituais San Javier del Valle.

Durante estes 38 anos de presença física na Venezuela, somos testemunhas do imenso acolhimento, das alegrias e das bênçãos que esta bela terra nos deu, não só às pessoas que por aqui passaram, mas a toda a Congregação.

Há tantas coisas que gostaríamos de dizer que nos faltam palavras e temos demasiados sentimentos. Datas, lugares, pessoas, nomes concretos... histórias... experiências profundas... que, juntas, Filhas de Jesus e leigos continuarão a levar em nossos corações com profunda gratidão ao Pai por nos ter dado o dom de sentir e ser FAMÍLIA.

Esta partilha de missão, evangelho e educação formal e informal abriu novos caminhos quando, em 13 de novembro de 2000, após um profundo discernimento e contínua busca diária, a comunidade se mudou para um setor de invasão chamado Maria Alejandra e, pouco a pouco, foi ampliado com as invasões de 26 de Enero, Simón Bolívar, Los tres Barrios, la Cañada...

Sem deixar a escola, as Irmãs tornaram-se vizinhas dos Wayuu, a maioria dos indígenas desses setores, e dos colombianos deslocados. Esta proximidade nos ajudou a ouvir mais claramente seus desejos, anseios, gritos de vida, direitos, justiça e esperança. Pouco a pouco, mulheres simples e homens e mulheres leigas da paróquia de Cristo Rey e da Diocese de Machiques se uniram com sua fé e contribuição profissional para a missão evangelizadora. Desta forma, seguimos caminhos de crescimento, solidariedade e compromisso a partir do pouco ou muito que cada um de nós podia compartilhar.

E assim foi, Filhas de Jesus, leigos unidos à Diocese e à paróquia, em contínua escuta da realidade e da Palavra, assistimos ao nascimento da Pastoral da Primeira Infância, aos projetos FASFI, à formação e promoção da mulher, à educação de adultos (IRFA), à Escola de Teologia para leigos, ao trabalho em rede com CARITAS, HUELLAS, AVESSOC, GUMILLA, FUDEP.

"E Deus viu que tudo era bom"... E nos convidou a deixar crescer e multiplicar o carisma e a missão como a FAMÍLIA DA MÃE CANDIDATURA. Ele nos encorajou a dar lugar à HISTÓRIA que é sempre a salvação. Ela nos encheu de sua GRAÇA para viver na Páscoa, para soltar apegos e caminhar em liberdade, como nos lembra a tapeçaria Wayuu, cheia de cor, vida e força, fala de uma alegria profunda e muitas vezes silenciosa que é dada e compartilhada com simplicidade evangélica, gritando aos quatro ventos: "ANIYA MALÉIWA" = Deus ainda está aqui. Esta é sua HISTÓRIA. E após um profundo processo de discernimento, o Espírito de Jesus nos confirmou, o Corpo e os homens e mulheres leigos, no desejo de sermos instrumentos em suas mãos para continuar sua missão nesta terra venezuelana a partir da Espiritualidade de Madre Cândida.

Portanto, com alegria evangélica, afirmamos que em 29 de maio de 2022 nada foi encerrado; um novo capítulo desta Missão Compartilhada começou, agora acompanhado por uma equipe de homens e mulheres leigos venezuelanos que, ligados à espiritualidade de Santa Cândida, se constituíram como Associação Civil da Família Mãe Cândida e estão em processo de aprovação civil de acordo com as leis do país.

Para lembrá-lo sempre, quisemos deixar este desenho que humildemente quer simbolizar o que tem sido nossa passagem pela Venezuela. A Cruz no meio da Serra de Perijá. Queríamos carregar Jesus, falar dEle com nossas vidas, caminhar humildemente com Ele junto com nossos irmãos e irmãs. Jesus no centro. Jesus, que abriu nossos olhos e corações para acolher e amar o que é diferente e nos fez sentir que o que é diferente mudou e nos enriqueceu. Temos conhecimento compartilhado. Temos sido irmãs, amigas, vizinhas... Temos desfrutado e sofrido... Temos sido, com outros e com outros.

Mulheres, famílias, crianças, jovens.... Nossa contribuição tem sido ajudar as pessoas a compreender que se pode levantar, que juntos podemos alcançar, que podemos dançar. É um sonho e também um caminho.

Aos pés da Serra, há pequenas flores. Nesta história há muita sementeira, muita semente (La Villa, San Javier, Tovar, Caracas) e também frutas que já estão lá e frutas que sem dúvida continuarão a crescer.

Nos últimos dias em La Villa, experimentamos fortemente o afeto sincero e grato de tantas pessoas pelas Filhas de Jesus. Nossa casa está repleta de pessoas que vieram passar algum tempo conosco, lembrando e nomeando com carinho cada irmã que passou por aqui.

Em conclusão, podemos dizer que nossa história (dita na monição da Eucaristia de despedida) tem sido e é uma história de amizade e serviço, de construção do Reino a partir das coisas simples de cada dia.

María del Carmen Caballero e Matilde Polanco Álvarez, Filhas de Jesus

 

0
0
0
s2sdefault