A escola "La Inmaculada" em Bilbao, que pertence à Fundação Educativa Jesuitinas, tornou-se o primeiro centro educacional a ser certificado em cultura de desenvolvimento sustentável pelas Nações Unidas. O Certificado ODS, a instituição que valida este reconhecimento, quis destacar que o compromisso de assumir as Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foi feito a partir de uma perspectiva integral, abrangendo todas as etapas educacionais e, sobretudo, porque quis ir além da simples didática.

Antecedentes

Nos últimos anos, a escola vem incorporando os desafios da Ecologia Integral na vida escolar: primeiro os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, depois a Agenda 21 da escola e agora a Agenda 2030.

A pandemia teve um impacto sobre eles e, durante os anos escolares de 2019-20 e 2020-21, eles se tornaram mais conscientes de dois aspectos que estavam questionando:

- Por um lado, durante os meses de estrito confinamento, enquanto nós estávamos em casa, a qualidade da água dos rios e oceanos melhorou, a poluição diminuiu, os animais se aproximaram das cidades, as plantas respiraram um suspiro de alívio sem carros e indústrias....

- Por outro lado, o isolamento e a falta de contato físico entre as pessoas levou a um aumento impressionante das doenças mentais. Sem afetividade, sem relações humanas de qualidade, as pessoas ficam doentes.

 

Uma chamada à ação

Diante disso, eles decidiram incorporar no ano acadêmico de 2020-21, juntamente com o Plano de Contingência COVID 19, um Plano de Educação Emocional que ajudaria a reduzir o impacto das restrições e lhes daria ferramentas para se fortalecerem diante de uma situação tão adversa e angustiante. Mas algumas perguntas ainda não foram respondidas:

"O que fazemos com o planeta? Como podemos contribuir para reduzir as desigualdades, frear a mudança climática, combater a fome e a injustiça"?

Sua abordagem os levou à ecologia integral para discernir como habitar a terra, buscando uma maior harmonia entre o ser humano e a natureza.

 

Começando

Eles contataram o Certificado ODS, uma entidade especializada em promover, orientar e acompanhar instituições educacionais em seus esforços para implementar a cultura do desenvolvimento sustentável como um pilar fundamental para que os jovens participem na formação de um mundo melhor.

O primeiro passo no processo de certificação foi um diagnóstico do centro com relação aos ODS em suas áreas de gestão e pedagógica, com a participação de estudantes, professores, a equipe de inovação e a equipe de gestão. Com base nos resultados, o treinamento de professores e a implementação do plano estratégico da ODS Experiencial foram planejados e realizados durante o ano acadêmico de 2021-22.

O primeiro objetivo na fase estratégica foi incorporar os valores das ODS em nossa Missão, Visão e Valores e estabelecer um compromisso com o corpo docente sobre as ações a serem tomadas para incorporar as ODS nos currículos das áreas e projetos interdisciplinares. Para liderar este desafio, foi criada uma equipe de trator com 6 pessoas, 5 professores de diferentes estágios e o diretor da escola. A coordenação com o corpo docente e o apoio dos 24 eco-delegados tornaram possível alcançar os objetivos.

Reconhecimento

No dia 17 de maio foi a auditoria final e, uma vez reunidas provas suficientes para acreditar que o centro atendia aos critérios necessários para ser considerado um Centro de Cultura ODS de acordo com os padrões internacionais, o Instituto de Treinamento e Desenvolvimento de Liderança das Nações Unidas, CIFAL Malaga-UNITAR, através do Certificado ODS, certificou que a escola jesuíta de Bilbao era digna desta distinção.

A escola afirma que "o desafio tem sido passar de conhecer a Agenda 2030 e os problemas colocados pelos ODS para Pensar, Sentir e Fazer a fim de realizar ações específicas que se tornam compromissos".

Projetos como "Bilboko Babesa", "Plástico 0", "Los pulmones del mundo", "La comida no se tira" ou "Green power Jesuitinas" são exemplos do envolvimento desta comunidade educativa com mudanças.

 

 

Josune Extremiana, diretor da Jesuitinas Bilbao, compartilhou estas palavras na cerimônia de premiação:

"Nossa fundadora, Santa Cândida, criou a Congregação e as escolas das Filhas de Jesus em 1871 para dar a meninas e jovens mulheres da época a oportunidade de ter acesso à educação e à cultura. Ela queria que eles estivessem mais livres e mais no controle de seu destino. Hoje chamamos isso de empoderamento das mulheres e o enquadramos no âmbito do ODS 5 Igualdade de Gênero. Bem, sem conhecer os mandatos da Agenda 2030, ela já sentia que a educação tem um enorme potencial de transformação social.

Ao longo do tempo, este legado evoluiu e se adaptou para atender às necessidades dos tempos. O universalismo inicial que se limitava ao cuidado de meninas de todas as classes sociais, com especial dedicação aos mais pobres e seus conselhos para usar sempre o método mais alegre, hoje o traduzimos em um projeto educacional aberto a todos, inclusivo, participativo e inovador. Cultivamos e abraçamos nossa cultura basca e ao mesmo tempo incorporamos os valores das ODS e da Agenda 2030 de forma transversal no currículo das áreas e projetos em todos os níveis educacionais, para formar cidadãos do mundo".

0
0
0
s2sdefault