Como acontece anualmente no final do ano escolar, tanto em Málaga como em Granada, a “Casa- Enfermaria” tem como costume procurar um local apropriado para um dia de excursão, de convivência. Este ano tiveram a feliz ideia de unir as duas casas em um ponto comum… em Nerja (Málaga) um lugar pitoresco e bonito onde a natureza nos presenteia com um mar sereno e umas montanhas cheias de vida.
O primeiro lugar de encontro foi na paróquia de “El Salvador”.
Encontra-se ali agora, como pároco, D. José, que foi capelão das Filhas de Jesus em Málaga e guarda boas lembranças de sua estância lá. Às 12 horas, participamos da Eucaristia celebrada para o povo. Ele nos recebeu com carinho e proximidade. Na homilia falou das irmãs com muito carinho.
Depois cumprimentos, e uma boa volta pelo “Balcão de Europa”, um lugar amplo onde pudemos trocar saudações, conversas, onde tanto as irmãs como o pessoal da Empresa que nos acompanhava, pudemos desfrutar de uma bonita paisagem, umas em cadeira de rodas, outras com muletas ou simplesmente apoiando-se no braço das que podiam lhes dar uma mão, que não eram poucas...
No princípio uma bruma nos dificultou ver o mar com claridade, mas pouco a pouco o sol apareceu e, de fato é um verdadeiro balcão... um gozo poder  desfrutar esse horizonte que se perde no infinito.
Estava próximo o restaurante que as responsáveis tinham escolhido para compartilharem juntas a refeição, um total de 58 ou 60 pessoas. Ambiente familiar, um refeitório exclusivo para nós, um pessoal agradável e um almoço... mediterrâneo: “pescaitos”, saladas, refrescos, e muita vontade de desfrutar umas e outras.

A bênção da mesa, com a música de “La Violetera”, foi:
Uns têm e não querem. Outros querem e não têm.
E nós que temos e nós que queremos, damos graças a Deus!

O ambiente sereno, de alegria, de família. Por um momento esquecemos as doenças, e vinham à nossa lembrança muitas vivências, experiências compartilhadas com outras irmãs da ampla Província de Espanha.
Brindes, agradecimentos, alegria de sentir-nos família, de sentir-nos acompanhadas nesta etapa de nossa vida, pouco fácil às vezes, e de sentir a proximidade da Congregação através de gestos simples e cheios de sentido.
Pouco a pouco passou o tempo e pelas 5 da tarde tínhamos que voltar aos ônibus.
Despedidas, desejos de repetir e... com novo oxigênio em nossa vida. Tudo continuará igual? Porém ninguém nos tirará a experiência de como passamos bem, de quanto rimos e desfrutamos.
OBRIGADA! MUITO AGRADECIDAS às organizadoras, que se repita, e já começamos a pensar onde e como será no próximo ano.

Por Matilde Blanco FI
Mais fotos aqui

0
0
0
s2sdefault