Hoje partilho 12 desejos, como 12 uvas. Para mim e para quem possa necessitar de algo semelhante.
1) Perspectiva. Para não me afogar em problemas ou preocupações demasiado raquíticas.
2) Compromisso. Com pessoas e causas concretas. Com quem é mais frágil. Sempre tento recordar que “se comprometer com todas as causas é a maior forma de descompromisso” (Bruckner). Às vezes as palavras podem ser também outra forma de se esquivar. Enfim, que isso não ocorra.
3) Esperança. Na vida religiosa andamos em uma época turbulenta. Temos muitos desafios. Isto é, sem dúvida, uma mudança de ciclo, pelo menos na Espanha. E custa encontrar o caminho. Que não falte a esperança.
4) Ternura. Às vezes, precisamente pela situação anterior, podemos nos machucar, nos ferir, descuidar de nós, exigir demasiado uns dos outros. Oxalá saibamos nos querer mais.
5) Bom humor. Porque o riso é saudável e ajuda a sarar. Porque há demasiado mau humor, demasiada irritação e muitas caras carrancudas em nosso mundo.
6) Boas leituras. Elas são um privilégio, uma escola e uma festa.
7) Amigos. Que não faltem amigos. Na confiança, na sinceridade, na liberdade.
8) Profundidade. Para ter um olhar de fé sobre o mundo. Para aprender a descobrir o que acontece desde uma clave religiosa.
9) Reforma. Creio de verdade na reforma que o papa Francisco está tentando impulsionar na Igreja. Na mudança de acento, nesse olhar muito mais inclusivo… oxalá saibamos cooperar.
10) Projetos. Para não me acomodar no que já funciona.
11) Oração. Rezar um pouco mais.
12) Liberdade. Para falar.

José María Rodríguez Olaizola sj

0
0
0
s2sdefault